101: A BR DA VIDA

O projeto 101: A BR DA VIDA foi idealizado após um levantamento informal dos atropelamentos de animais silvestres no trecho norte paulista da rodovia Rio-Santos (BR-101), que corta o Núcleo Picinguaba do Parque Estadual da Serra do Mar (PESM). Esse levantamento preliminar, realizado em diferentes períodos entre 2005 e 2010 e que contabilizou um total de 85 registros de atropelamentos, serviu como alerta para o problema e indicou a necessidade de uma ação mais efetiva e organizada para avaliação da real dimensão do problema.

Entre janeiro e setembro de 2011, a então estudante do curso de Ciências Biológicas Josciele Caroline Santos, sob orientação e parceria do PROFAUNA, passou a realizar o monitoramento diário do trecho entre o Km 8 (entrada da sede administrativa do Núcleo Picinguaba do PESM) e o Km 40 (início do trecho urbano do município de Ubatuba) da BR-101, registrando cada caso de atropelamento de animal silvestre.

 

 

Mão-pelada atropelado na
Rio-Santos
Mão-pelada atropelado na
Rio-Santos
Foto: Arquivo PROFAUNA
Cobra morta ao tentar atravessar 
a rodovia
Cobra morta ao tentar atravessar
a rodovia
Foto: Arquivo PROFAUNA

No total foram obtidos 60 registros.  Destes foram observadas vítimas das classes aves, mamíferos e répteis, sendo 86,66% (52 ocorrências) de mamíferos, 6,66% (4 ocorrências) de aves e 6,66% (4 ocorrências) de répteis. Dentre as espécies registradas, a mais encontrada foi o gambá Didelphis aurita, com 68,3% (41 animais) das ocorrências. 

O mês em que houve o maior número de registros de animais atropelados foi fevereiro, com 20 casos. Janeiro e setembro foram os meses com a menor incidência: um caso cada.

Os resultados obtidos mostram que medidas mitigadoras devem ser implementadas de forma urgente para reduzir estes impactos e o monitoramento dos atropelamentos de animais silvestres na BR-101 deve continuar de forma intensiva.

As informações foram utilizadas para a elaboração do Trabalho de Conclusão de Curso de Jotsciele e ainda serão analisadas para a produção de um diagnóstico preliminar do problema e o planejamento de uma ação junto aos órgãos responsáveis. 

Este projeto te interessa? Você pode colaborar conosco e solicitar mas informações. Entre em contato e saiba como ajudar.

Denuncie

O combate ao tráfico de animais silvestres é responsabilidade de todos nós e não apenas dos órgãos de fiscalização do poder público. Toda a sociedade tem de se envolver nessa luta! Sua omissão contribui para que animais continuem sendo vítimas dos traficantes. Saiba como denunciar e o que você pode fazer para ajudar.

Parceiros